Preparação

Protegendo a Obra de Arte

Photo by Brian Cook on Unsplash

O local do evento é um lugar de extremos. As condições climáticas podem ser agradáveis ou não. Você pode esperar ventos e chuvas fortes, raios e granizo, geralmente sem o menor aviso.

O maior desafio para qualquer estrutura, desde um acampamento pequeno até uma arte de mais de 25 metros de altura, é a força do vento. Qualquer coisa que você trouxer ao evento deve estar seguramente presa ao chão. As estruturas maiores correm o risco de cair e machucar alguém, e as estruturas menores como as barracas de camping podem ser levadas pelo vento, e nunca mais encontradas.

Tenha em mente que tempestades são possíveis. Em ventos fortes, é difícil manter-se em pé. Faça tudo que puder para planejar a instalação de sua obra de acordo com as normas de segurança.

Tenha em mente também que todos os itens que estejam soltos perto de seu acampamento e que não estejam protegidos, como lixo, garrafas plásticas, papel, arte ou qualquer coisa, podem ser levados pelo vento quando você menos esperar. É de sua responsabilidade levar de volta tudo o que você trouxe para o evento, desde grandes estruturas até pequenas tampinhas de garrafa ou bitucas de cigarro.

Manter tudo bem seguro significa que você não terá que passar horas ou dias procurando por algo depois.

Estacas de Barraca

Um grande número de pessoas vão acampar em barracas no Tropical Burn. Se você estiver instalando a sua, dê uma olhada nas estacas que vêm com ela. Elas são geralmente pequenas e feitas de alumínio leve, projetadas para mochilões, equilibrando força e peso. Já que você provavelmente não carregará toda a carga em suas costas, compre algumas destas estacas longas de metal que vendem para barracas maiores.

Também, pelo mesmo preço, você pode usar estacas de vergalhão, uma ideia muito melhor, descrita abaixo.

Se você for utilizar as estacas pequenas que vierem com a sua barraca, pelo menos certifique-se de colocar algo grande e pesado dentro de sua barraca quando você não estiver lá, como um cooler cheio. Você não vai querer ficar procurando sua barraca quilômetros longe de seu acampamento.

Estacas de Vergalhão

Se você instalar algo maior do que uma barraca de acampamento comum, como um estrutura de paraquedas, você vai precisar de uma maneira melhor de proteger essa estrutura ao chão. Estacas grandes de plástico serão inúteis para qualquer coisa maior do que uma barraca de duas pessoas.

Uma maneira prática e conhecida de fixar sua estrutura é usar vergalhão, que é normalmente usado como reforço para concreto de construção. É forte, barato e resiste em ser arrancado do chão melhor do que qualquer coisa que você comprar em uma loja de acampamento.

São geralmente vendidos em vários tamanhos e comprimentos. Se você já tiver fácil acesso a uma serra de cortar metal ou uma serra de fita, (ou se tiver vontade de um bom exercício físico, uma serra manual) você pode economizar dinheiro indo a um depósito de material de construção ou a um ferro velho e comprar o vergalhão inteiro em partes de 6 metros. Eles geralmente cortam na metade para poder caber no seu carro. Para aqueles sem meios de cortar o metal, há uma maneira muito mais simples: vá a uma loja de materiais de construção e compre as barras pré-cortadas de 1 metro (mesmo valor que as estacas de barraca). Você pode economizar um pouco do outro jeito, mas essa é a maneira mais fácil para a maioria.

A essa altura você não terá somente uma estaca excelente, mas também um perigo real, porque a ponta dela é realmente afiada e perigosa para um pé descalço. Muitos ferimentos no no evento são causados por esse motivo. Então ao invés de fazer buracos nos pés das pessoas, é melhor selar a ponta de alguma maneira para evitar que as pessoas pisem nelas.

 

Uma maneira barata de fazer isso é usar uma garrafa pet de um ou dois litros presa de cabeça para baixo, mas você também pode escolher protetores de plástico em forma de cogumelos, feitos especialmentpara este propósito nas lojas de material de construção. Entretanto, nenhuma dessas opções são particularmente atrativas.

Há uma maneira melhor e mais fácil do que você imagina!

Este é um jeito excelente de se certificar que ninguém acabe se machucando. Se você usar estas diretrizes para sua estrutura, isso irá garantir que a corda não solte da ponta do vergalhão. Fica também mais fácil soltar as estacas quando você for embora. Você só precisa usar uma estaca extra como um gancho e puxar as outras estacas do chão.

O que precisa é: o vergalhão de 1 metro de comprimento e dois pedaços longos de cano de aço para passar pela ponta (pelo menos 1 metro e meio), quanto maior melhor. Coloque um cano no chão e aperte a extremidade contra qualquer coisa coisa vertical e sólida. Passe a estaca de vergalhão por dentro do cano para que os aproximadamente 10-15 centímetros estejam aparecendo para fora da ponta. Pegue o outro cano e coloque-o por cima da ponta mais curta do vergalhão que está para fora, e nivele-o até formar uma ‘bengala doce’ da sua estaca. Isso não leva mais tempo do que procurar por garrafas pet, e é uma maneira muito mais forte e segura.

Independente do que você faça, lembre-se de trazer uma pequena marreta para bater o vergalhão para dentro da terra. Um martelo comum pode não servir. Pode ser que você não ache pedras no local do evento para marretar coisas no chão.

Corda

Se você estiver planejando montar alguma coisa alta e vertical e estiver usando linhas para evitar que caia, você pode se supreender pelo preço de cordas ou cabos decentes quando você for para uma loja de ferragem.

Uma boa opção para estruturas maiores é usar corda de escalada – é inacreditavelmente forte e tem um pouco de elasticidade, o que ajuda um pouco em repentinas rajadas de vento. Quando compradas novas, são muito caras. Porém, os escaladores comuns geralmente dispensam cordas usadas depois de um curto período de tempo por razões de segurança, e se você ligar para algumas academias de escalada ou colocar anúncios em lojas de montanhismo, você pode conseguir uma bem barata ou até uma de graça. Os tamanhos comuns variam de 9-11mm, todos são bem firmes em proteger a maioria das estruturas, além de segurar nós muito bem. Quando cortar a corda no comprimento que desejar, arrume um isqueiro e derreta a ponta um pouco, isso evitará que a corda se desfaça.

Se você arrumar uma corda em uma loja de ferragem, evite as lisas que são bem mais baratas e firmes para vários casos, mas que não seguram nós.

Plataformas Elevadas

Qualquer estrutura projetada como uma área elevada deve ser considerada cuidadosamente. Quantas pessoas podem suportá-la e quantas vão vigiá-la?

As grades de proteção devem ser bem projetadas e construídas, como você realizará isso? Se subirem nas plataformas, como sairão delas sem causar um congestionamento? Você sabe qual espessura de cabo é a melhor para as suas necessidades? Se por uma perspectiva de engenharia, você não pensou cuidadosamente em todos os aspectos para o seu projeto, você tem mais pesquisa a fazer.

Para saber como construir sombras, por favor visite:
Geometria: Como Construir uma Geodésica
http://geometrydome.com/

Traduzido e adaptado por Eric Amorim
https://burningman.org/event/preparation/playa-living/securing-your-structure/

Sem categoria

Concurso de Logo do Tropical Burn – Regional Burning Man Brasil

Quer ajudar a criar um logotipo para o Tropical Burn? Estamos abrindo um concurso para os criativos da comunidade que queiram colaborar.

Artistas, designers e talentosos em geral dispostos a se voluntariar podem enviar suas sugestões/link e descrição com o conceito da arte pelo e-mail arte@tropicalburn.org

Orientações para o logo:

  • A arte pode remeter ao logo do Burning Man original, mas deve ser diferente o suficiente para claramente identificar que se trata de um Burn regional que é conectado ao evento de Nevada, mas não é a mesma organização. Somos locais da nossa terra.
  • Não pode ser igual a de nenhum outro Burn Regional.
  • É importante (mas não essencial) que carregue uma identidade brasileira, para que tenhamos uma identificação regional, se diferenciando dos outros eventos.
  • Após a eleição o escolhido terá a oportunidade de refinar seu logo e deve nos entregar o arquivo vetorial assim como instruções de uso, cores e proporções, com a prazo a ser estabelecido.
  • Ao ganhar o concurso o participante concorda em ceder o uso irrestrito e atemporal do seu logo pela organização do Tropical Burn sem consulta prévia.
  • Não haverá nenhum tipo de premiação ou remuneração ao criador do logotipo escolhido. O tempo e talento criativo é encarado como uma ajuda voluntária a realização do Tropical Burn, seguindo o princípio da “participação radical”.
  • Ao ganhar o concurso o designer poderá divulgar seu logo somente após o Tropical Burn fazê-lo. Todos os créditos de criação e participação serão divulgados.
  • Os logos serão julgados de acordo com adequação ao tema, estética, flexibilidade de aplicação e legibilidade (conceitual e prática)
  • Qualquer indício de plágio implicará na eliminação da proposta.

> Confira imagens mais conceituais como referência nesta pasta no Google Drive para que não seja baseado em outros eventos regionais, mas sim, na brasilidade.

Especificações técnicas:

– Tamanho da imagem > Máximo 2mb
– Resolução mínima-máxima > 450x450px – 1200x1200px
– Tipo de arquivo > .JPG .AI. PSD

As logos enviadas dentro dos critérios até o dia 18 de fevereiro de 2018 e aprovadas pela organização Burning Man Project ficarão disponíveis para serem votadas pela comunidade (com registro de e-mail) entre os dias 19 e 25 de Fevereiro de 2018 . O mais votado será a nossa primeira logo oficial!

 

https://www.afrikaburn.com/

  http://fuegoaustral.org/

   https://regionals.burningman.org/regionals/europe/russia/

   https://www.facebook.com/burninja

      http://microburn.org/

  http://burningmanaustralia.com/

   http://www.dragonburn.org/

    https://midburn.org/

Logos Burning Man regionais pelo mundo – Google Imagens
Sem categoria

Chamado para co-criação Regional Burning Man Brasil: Tropical Burn

TROPICAL BURN   )ˆ(  Chamado para co-criadores

Foto: Burning Man Journal

O Burning Man não é um festival. É um encontro que oferece uma experiência social inesquecível para todos os participantes.

Ele surge através da participação de cada membro da comunidade, de forma voluntária.

<<< Não existem espectadores >>

Todos são convidados a participar. É necessário que os próprios membros da comunidade se organizem e participem ativamente, sem apenas assistir os outros trabalharem. Não existem pessoas ou empresas contratadas para fazer a coisa acontecer.

Estamos atuando nas mais diversas áreas para poder realizar o primeiro Regional do Burning Man no Brasil: o Tropical Burn, na virada de 2018-2019. E neste processo colaborativo, nós (voluntários) precisamos de pessoas dispostas e comprometidas a atuar em frentes específicas.

  • Artistas, DJ’s, Bandas e performers, aguardem o novo formulário para inscrição de arte em breve

Se você possui um destes super-poderes abaixo, a hora é agora:

1 – Storytelling: alguém que consiga documentar o processo;

2 – Foto e vídeo: fotógrafos e videomakers para filmagem/edição dos vídeos de crowdfunding

3 – Roteirista: que possa fazer o roteiro do vídeo;

4 – Comunicação: conteúdo para o site, Newsletters, Assessoria de imprensa, RP, conhecimento de Slack, Trello e Google drive.

5 – Produtor de eventos locais: Ninjas que organizam as apresentações, pré-eventos fundraising e encontros regulares da comunidade;

6 – Infra-estrutura: time responsável por aluguel e compras, gerador / eletricidade, palcos, iluminação, sistema de som, sinalização, portão / entrada, backstage, montagem/desmontagem e limpeza.

7 – Coordenação de voluntários: tem que gostar de gente! Fazer a gestão do processo do início ao fim dos voluntários, desde a entrada de novos membros, aculturamento, facilitação e organização dos times.

8 – Segurança: bombeiros (voluntários), saúde, fogo (perímetro), Ponte com Polícia e Bombeiros do Estado/município.

9 – Design / web: time responsável pelo design, dando apoio aos outros times, site e outras produções.

10 – Crowdfunding: time responsável pelos programas de crowdfunding para o projeto e artes

11 – Legal / Documentação: apoio para o time responsável por alvarás, licenciamentos e toda a papelada necessária.

12 – Leilão de arte: alguém com experiência em leilões

13 – Time de performance e música: coordenação de bandas e DJs, performances e agenda.

14 – Time de arte visual: coordenação de instalações de filmes e fotos, VJ’s e agenda.

15 – Posicionamento / Mapa: coordenação e planejamento da estrutura do local, posições dos acampamentos, banheiros, instalações, etc.

16 – Centro de informações: coordenação do centro de informações e Achados e Perdidos

17 – Portão/acesso: credenciamento, listas, coordenador de entrada, Boas-vindas, Guardiões do portão.

18 – Burner care: time responsável pelo espaço para saúde – médicos, enfermeiros, apoio psicológico, workshops e aulas agendadas durante o evento.

19 – Financeiro: time responsável pelo levantamento de custos, orçamentos, receitas, impostos e doações do projeto.

20 – Produção do Regional: time responsável pelo desenvolvimento de atividade planejamento, logística, administração dos recursos e apresentação de prestadores de serviços especializados em eventos.

21 – Sustentabilidade: coordena as ações voltadas para o impacto social, meio ambiente e cultura local. Energia solar, reciclagem e proteção ambiental.

Caso você tenha experiência com uma das áreas acima e esteja interessado em fazer parte deste sonho, acesse o formulário de inscrição.

Para mais informações sobre o que está rolando, acompanhe a página Tropical Burn no Facebook.

Saiba mais sobre os 10 princípios do Burning Man aqui.

)'(

Sem categoria

O que as fotos e vídeos não te contam sobre o Burning Man

O “glamour” do maior encontro de contracultura do mundo acaba escondendo os princípios do Burning Man

casualidades-burning-man
Foto: Stevie Galaxy

Existe um lado do Burning Man que muita gente não vê, que muitas fotos e vídeos postadas depois do encontro não mostram. A maioria dos artigos e comentários que vejo são – adivinhem? – de pessoas que nunca estiveram lá. O que acaba sendo um grande desserviço para quem vai pela primeira vez, achando que é um festival comum, de sexo, drogas e música eletrônica. Por isso, ainda com as mãos sujas da poeira branca (sim, ainda estou limpando as tralhas para o próximo ano), decidi escrever este post para que a mágica da cidade, que surge no meio do deserto por duas semanas, sendo uma de “evento” oficial, não se perca com a banalização do man.

PREPARAÇÃO

Este não é um evento onde você compra o ticket 3 dias antes de começar e vai com a expectativa de que irá encontrar alguma estrutura esperando por você. Exige planejamento, com meses de antecedência. É claro que tem gente, com mais poder financeiro, que consegue ir em cima da hora. E mesmo assim acabam chegando despreparados – sem ler o guia de sobrevivência, sem o equipamento necessário para acampar, pra sobreviver às dificuldades do deserto e sem saber como se envolver nas atividades da comunidade, sejam eventos sociais ou como voluntário.

Os tickets são vendidos online em vários “lotes”: o primeiro (mais caro) que é uma “pré-venda” onde parte do dinheiro vai para investimento em artes; o segundo que é para grupos; o terceiro, main sale, onde os tickets na sua maioria esgotam em poucos minutos. Por isso é preciso reservar este dia pra ficar na frente do computador e conseguir comprar no minuto exato da abertura no site. Em quarto, o low income tickets, onde exige o preenchimento e aplicaçaão de um formulário e assim por diante.

ingressos burning man
Burning Man 2017 Ticket Information

Depois do ticket, é só alegria: comprar tudo aquilo que você precisa – existem diversos check lists de coisas que você irá precisar levar – e ser criativo: pensar em formas de presentear as pessoas na Playa, seja com coisas materiais ou atividades de interação. Reservar RV ou carro, ticket do ônibus (existe o Burner Express que leva as pessoas de algumas cidades nos EUA direto para Black Rock City) passagem aérea, hospedagem, organizar as férias, etc. Tudo isso quem tem que fazer é você mesmo. Ninguém da comunidade brasileira, das páginas no Facebook (como a do Burning Man Brasil) de qualquer burner é obrigado a tirar as suas dúvidas sobre essas tarefas – não leve para o lado pessoal.

RUMO A BLACK ROCK CITY

transito-burning-man

Se você não for de avião (O Burner Express também oferece voos até BRC, que possui um aeroporto dentro da cidade) se prepare para uma longa jornada, com muita paciência.

Além de horas na estrada rumo ao deserto, quando se chega na última rodovia antes de pegar aquela poeira toda, já espere encarar uma fila densa. Pode demorar de 2 até 5 horas (normalmente) até você conseguir atravessar o portão. São 70 mil pessoas chegando ao mesmo tempo em uma velocidade super reduzida (pra evitar subir mais poeira).

Existem relatos de gente que ficou mais de 20 horas, devido a chuva, que quando toca a poeira, ninguém pode se movimentar. Ônibus, caminhões, carros, bicicletas e até pessoas andando a pé ficam atoladas na poeira alcalina que, com a água, gruda de uma forma que impossibilita a locomoção. Por isso é preciso estar preparado, com um galão extra de combustível, muita música e fácil acesso a comida dentro do veículo.

LIBERDADE PARA SER VOCÊ MESMO

Na semana seguinte da queima do homem, é normal ver fotos e vídeos de pessoas posando em seus trajes-fantasia, com aquele toque único. E diferente dos festivais tradicionais de música, as roupas que, muitas vezes se tornam arte, trazem uma mensagem e possibilitam a interação com o outro e descoberta de si mesmo. Pouco se fala que por trás destes apetrechos visuais todos, existe um princípio forte (dos 10 que o Burning Man sugere aos participantes), que é o da Auto Expressão Radical.

Ficar bonito, descolado, numa mistura hippie ~mais pra hipster~ com chapéu cartola e óculos steampunks para parecer cool, é tão mainstream que pode se perder a ideia de ser aquilo que você, muitas vezes, não pode ser na sociedade pelos julgamentos diários que o rodeiam. Não tem problema se você vestir qualquer chapéu, desde que proteja a sua cabeça do sol e da poeira (que destrói os cabelos). O que vale mais é a sua atitude: abraçar as pessoas, fazer elogios sinceros, participar, expressar seus sentimentos e emoções – por mais que eles não sejam puro amor. Se vestir (ou não) como você sempre quis, diferente do “normal”, faz você viver aquele personagem dos seus sonhos diários, oprimidos pelas normas de um mundo padrão.

Mulheres aproveitam o não julgamento da cidade para serem livres de verdade. Muitas delas, que levam a sério o princípio da expressão radical, ficam tão confiantes e donas de si que são mais fortes e capazes do que muitos homens presentes ali. Não se importam em se aventurar de bicicleta sem hora para voltar e se “perderem”, sozinhas, por dois ou três dias, até poder se encontrar no acampamento chamado de “casa”, naquele relógio mágico que marca o endereço das ruas da cidade. Tomam decisões, atuam como lideres, construturas, motoristas e vivem cheias de atitude.

auto-expressao-radical-burning-man
Foto: Nicola Bailey

Homens, que deixam em casa todos os preconceitos para serem eles mesmos, vestem saias, botas, se maquiam ou não vestem nada, deixando, por muitas vezes, o pouco (ou muito) do lado feminino e sensível aflorar na Playa – sensível no sentido de sentir, absorver o que te rodeia. Isso porque já vivem, boa parte do ano, entre grupos machistas/hetero normativos onde expressar os sentimentos é coisa de viado. No Burning Man você pode desmunhecar à vontade, ser aquilo que você sempre quis ser mas não podia ou teve coragem – e continuar sendo hétero. Você pode se expressar como quiser. Ninguém irá te julgar por isso (a não ser que ele não seja um true burner). Pelo contrário: receberá elogios e isso mudará em muito a sua atitude e percepção das coisas no decorrer dos dias.

TRUE BURNERS – BURNERS DE VERDADE

É claro que existe aquela parcela da cidade (digamos 10% do todo) que vai no intuito de alimentar o próprio ego, pagar de gatinho, se vestir para fazer books fotográficos e participar de todas as festas com DJs e pessoas famosas, sem ajudar, EM NADA, na construção da cidade ou em alguma atividade durante a semana. Tem MUITA gente rica e famosa que vai para Burning Man, e isso atrai gente pobre (de espírito) interesseira. Jatinhos entram e saem do aeroporto de Black Rock City o tempo todo. E a maioria dessas pessoas, na real, fazem MUITO mais pela cidade, de forma anônima e colaborativa do que os espectadores. Só que a diferença é que todos se misturam naquele ambiente hostil e sem dinheiro, que fica difícil colocar rótulos e separar quem é quem.

É preciso levar aquelas luvas grossas de trabalho. Estar preparado pra carregar madeira, caixas pesadas, pegar em ferro quente do sol – que pode queimar e destruir as suas mãos – tudo em prol da construção do seu camp, de uma arte, de uma simples sombra pra comunidade.

construcao do burning man 2017
Foto: Burning Man Journal – Raising the Man

As conversas no Burning Man vão além do “o que você faz da vida?”, “onde você mora?”, “onde você se formou”. É natural conhecer alguém em uma instalação artística e discutir o conceito da obra, falar das emoções que se sente, da percepção do local e até mesmo das constelações durante uma noite de céu estrelado. Aqueles que estão interessados em saber quem você é “lá fora”, curtem menos o momento, o sonho, a mágica de Black Rock City. Porque querem mesmo é fazer networking/contatos para manter a sua sobrevivência do mundo dos interesses financeiros, ao invés de fazer conexões, criar círculos de amizade sinceras que conectam o coração.

De qualquer forma, prefiro dizer “não sei” do que julgar quem vive na base dos contatos com gente “poderosa” sem ver se eles estão construindo algo, ou não. Fazer contatos e ir neste intuito não tem problema nenhum, desde que colabore de alguma forma e não tire proveito passando por cima da construção e suor daqueles que estão realmente envolvidos na coisa toda.
*Existe um post antigo sobre isso onde a galera discute o que é “ser um burner” aqui.

NÃO EXISTE DINHEIRO – VOCÊ NÃO PEGA A SUA CARTEIRA

Um dos princípios que faz a cidade ser o que é, é o da decomoditização – não existe dinheiro, nem troca. Só se compra gelo e café no center camp (seu acampamento vai precisar de gelo, todos os dias). O que faz a cidade ser um exemplo de economia criativa, compartilhada, colaborativa, por mais que se gaste um valor razoável na preparação.

Você pode ir de RV (motor home) e estacionar em um camp aberto somente para RVs, sem pagar nada. Ou, como a maioria, fazer parte de um camp temático, onde as pessoas dividem os custos dos materiais necessários para a estrutura, armazenamento e transporte de tudo (sombras, chuveiros, cozinha, etc). Geralmente o custo fica de 150 a 400 dolares, dependendo do que o camp vai oferecer.

economia criativa burning man
David Lawson – Camp que oferece ovos para os participantes

Porém, ignorando completamente este princípio, existem camps chamados Plug and Play – são grupos que funcionam como concierges – agências de viagens. Você paga um valor X (alguns chegam a 20 mil dólares) e eles agilizam toda a estrutura necessária: Motor Home, sombra, ar condicionado, chuveiro, cozinha com buffet, refeições à vontade e gente trabalhando (cozinhando, trocando o lixo, pegando gelo, etc) pra você – ao invés de você mesmo fazer, colaborar, de uma forma organizada e dividida, entre os membros do seu acampamento. O que é totalmente contra o princípio de participação e decomoditização do Burning Man.

Em 2016 teve uma galera que ficou revoltada com um desses acampamentos luxuosos e foi lá vandalizar, já que eles não abriam o espaço para todos os participantes, faziam cara feia quando alguem desconhecido entrava e recebiam só gente famosa com tudo de bom e do melhor – leia o que aconteceu nesta matéria.

PARTICIPAÇÃO – NÃO EXISTEM ESPECTADORES

O Burning Man é um lugar mágico. E para que a mágica aconteça, é preciso participar, fazer parte dessa construção – por mais cansativo que seja. A organização oferece passes para aqueles que precisam chegar mais cedo para ajudar na montagem – se chamam early passes. E ver a cidade surgir, do zero, é uma experiência única. Todo mundo se ajuda, constrói durante o dia todo e aproveita as noites para interagir e descansar.

Não é a equipe da empresa Burning Man que constrói tudo. A organização do evento oferece um “quadro em branco”, marcando os perímetros das ruas, da playa, a segurança (que também é voluntária), os banheiros químicos, a posição das artes e dos camps. Quem constrói, de verdade, são as pessoas. Gente como você, que pagaram o valor do ingresso inteiro para estar ali. Planejam com meses de antecedência, chegam 3 dias mais cedo, vão embora 3 ou mais dias mais tarde, ficam debaixo de sol forte pra montar as sombras, cozinhas, chuveiros, barracas, yurts, instalações de arte e tudo aquilo que se vê nos camps que oferecem algo para a cidade.

Daí se tem a falsa sensação de que “tudo aqui é de graça”. Sendo que, na real, todo mundo oferece algo e colaborou de alguma forma.

participacao burning man
Thunderdome – Acervo Web

E fazer parte deste time de montagem e desmontagem é uma causa positiva muito forte. Parece que quando o evento começa, você já está conectado com a cidade e o deserto. Dá muito mais valor nos outros camps e aproveita as oportunidades, diferente daquele que pagou o ticket e chega como espectador, curte, e vai embora sem levar ao menos um saco de lixo. Você participa mais, interage, se entrega.

E aí que a mágica acontece: você encontra amigos na hora certa, art cars no meio do deserto que te levam para festas incríveis, comida quando sente fome, bebida quando está com sede, aulas e workshops do seu interesse no momento exato de início. São experiências que parecem coincidências, mas que na realidade é a cidade te dando de volta aquilo que você mesmo ofereceu desde o começo.

O CUIDADO COM A PLAYA, COM A COMUNIDADE

True Burners – Burners de verdade – carregam um zip lock (saquinho de plástico) dentro da bolsa durante as aventuras na Playa, pra guardar o lixo que produzem e encontram no caminho. Quando se vê alguém fazendo algo errado (sem iluminação no corpo, deixando cair lixo no chão, sendo imprudente de alguma maneira) se expressam, tomam conta do outro. O que é diferente de chamar a atenção ou dar lição de moral.

É preciso entender isso como um carinho, cuidado do outro com você e com a Playa, e não levar isso para o lado pessoal. As pessoas realmente se importam com a bem-estar de todos e do local. Você não verá latas de lixo no meio do deserto, ninguém é obrigado a lavar a sua louça. Terá que carregar a sua caneca e a sua tigela/pote se quiser comer. Não existem copos, pratos e talheres descartáveis. Não é permitido usar drones sem uma permissão e nem tirar fotos/filmar gente pelada sem autorização.

bicicletas burning man
Bicicletas abandonadas – Tom Stahl

Sair para explorar a Playa de bicicleta é correr o risco de encontrar um carro-arte e poder subir em cima dele. Pra isso, é bom colocar um cadeado na bicicleta e voltar pra pegar no outro dia. Mas nunca deixá-la em qualquer lugar, abandonada, porque isso atrasa – e muito – a vida daqueles que ficam após o final do evento recolhendo as bicicletas esquecidas na cidade.

E não são pessoas pagas pra fazer isso, são voluntários.

A água que você escova os dentes e toma banho, deve ser depositada em um barril, que fica no sol durante o dia todo para evaporar. E será o seu camp o responsável por levar esse barril para lavar e guardar/trocar para o próximo ano.

ACOMODAÇÃO – DA SOBREVIVÊNCIA AO LUXO

Se vê muitos posts de RVs (Motor Home/Trailers) nas redes sociais. O que é, realmente, um luxo. Sendo que o preço do aluguel de um RV (dos mais simples) para o Burning Man sai em torno de U$ 5.000,00 / 10 dias para 2 pessoas.

O que não é a realidade da maioria, que ficam em Yurts (veja os modelos aqui), barracas de lona ou de Nylon (que se transformam em um forno após as 8am). Por este motivo, muitos camps montam sombras para que as pessoam possam colocar as suas barracas e aguentar o sol da manhã, garantindo algumas horas a mais de sono por dia.

Uma boa ideia é aproveitar a sombra dos containers e RVs estacionados no camp em uma posição que gere proteção todas as manhãs, podendo colocar uma ou duas barracas do lado oposto. Isso ajuda, em MUITO, na hora que o sol nasce (umas 6am) até umas 10am.

barraca burning man
Foto: George Dvorsky

Ter um gerador para o ar condicionado dentro dos Yurts e alguns modelos de barracas, como o Shiftpod – projeto que saiu do burning man para ajudar refugiados de guerras – é uma maravilha e ajuda demais a manter a temperatura do lado de dentro depois das 10h da manhã.

Mas como disse: é luxo, dá pra sobreviver sem. E na questão de privacidade, o RV ou uma barraca de 6 pessoas para 1 ou duas, pode ser a melhor opção. Terão momentos em que você vai querer ficar sozinho, descansar, namorar, curtir o seu tempo em paz. E por isso é sempre bom ter uma barraca, por mais que você divida um RV com alguém.

SÓ TEM GENTE JOVEM, MAGRA, BRANCA e RICA – MENTIRA

É verdade que a maioria das pessoas são brancas, mas não é verdade que a cidade é composta apenas por pessoas brancas. Você vai encontrar pessoas de diversas nacionalidades, cores e raças. Ainda que, gente de pele escura seja minoria, tem muita gente fazendo parte disso e como todo assunto sobre, não dá pra generalizar.

É verdade também que você encontrará corpos atléticos, homens sarados, mulheres de corpos esbeltos. E também irá encontrar gordos, magros, altos, baixos. Pessoas nos seus mais variados formatos que não estão ali pela exposição do corpo, mas de sua arte e de algo muito maior do que isso.

Passeando pelos acampamentos, é possível perceber que os mais organizados e interessantes são compostos por pessoas acima dos 40, 50 anos. São grupos que já foram há várias edições e estão ali pela diversão de entreter as pessoas com uma comida boa, lavando a sua cabeça, oferecendo drinks ou um carona da deep Playa de volta pra casa em um daqueles tapetes voadores.

criancas burning man
Foto: Aly Weisman

E para quem diz que não é lugar de criança, também é mentira. Black Rock City possui o Kids Village, que é um acampamento voltado somente para crianças, com voluntários que atuam como babá, revezando nos dias da semana para ficar com as crianças nos momentos em que os pais estão se eventurando pela Playa.

As crianças possuem várias atividades e andam livremente de bicicleta pela cidade. Pelas manhãs, eles passeiam pelos acampamentos oferecendo cookies que eles mesmos cozinharam no Kids Village. Eles jogam, se divertem no trampolim e fazem tours, todos juntos, pela Deep Playa.

O Burning Man é, definitivamente, um ambiente familiar – em todos os sentidos.

EXPERIÊNCIA ÚNICA E INDIVIDUAL

Por fim, eu poderia colocar aqui como foi a minha experiência, mas seria uma verdade provisória, relativa e que cada um absorve de uma maneira diferente. E acredito que seja muito legal respeitar as experiências de cada um.

Por mais que as pessoas decidam ir para Black Rock City com intenções diferentes, não devemos julgar. A não ser que as atitudes dessas pessoas interfiram, de alguma maneira, na segurança e no bem estar de todos, como sugerem os princípios do evento.

Caso você queira ir no próximo ano e precise se conectar com mais pessoas, existem grupos online, no Facebook e outros sites que podem te ajudar.

E sim: já estamos nos preparando para o próximo ano: arte, atividades do camp, festas, encontros no decorrer do ano… Nunca é tarde para transformar os seus sonhos em realidade.

moop-burning-man-2017
Foto: William Praniski – Brasileiros que ficaram, em 2017, pra limpar a Playa

BEBA ÁGUA )*(

*Links que consultei para escrever este post:

– 10 Princípios do Burning Man https://burningman.org/culture/philosophical-center/10-principles/
– Guia de sobrevivencia do Burning Man: http://survival.burningman.org/
– Artigo sobre os luxury camps http://www.businessinsider.com/burning-man-camp-vandalized-2016-9
– Relato de um plug n play camp: https://www.reddit.com/r/BurningMan/comments/3k273i/my_friends_were_in_a_plug_n_play_camp/
– Sobre os early passes: https://help.burningman.org/customer/en/portal/articles/2269046-how-do-early-arrival-passes-work-?b_id=13074
– Burner Express: https://burnerexpress.burningman.org/
– Informacoes sobre tickets: http://tickets.burningman.org/