Regional Brasil

Novo Logo do Tropical Burn

JÁ TEMOS NOSSA CARA!

Após 1 semana de votação e 20 propostas enviadas, a o logo de João Henrique Moldenhauer (@viajecomojoao) ganhou o concurso de Logo do Regional Brasileiro. A partir de agora nossos canais de comunicação com a comunidade vão ganhando a cara do Tropical Burn.

Parabéns João!!

Se está curioso em como ele chegou no logo, pode ler a justificativa da criação escrita abaixo:

Por João Henrique Moldenhauer

“Ao pensar em uma imagem que pudesse representar o Tropical Burn quis fugir das brasilidades estereotipadas e voltar as nossas raízes. Somos um evento brasileiro sim, mas o Brasil hoje é uma mistura de etnias, uma mistura cultural. Então nada melhor que remeter a tradição, hoje tão marginalizada e esquecida, indígena. Os povos que estavam aqui antes da colonização e que, juntamente com os colonizadores europeus e os africanos trazidos por eles para cá, nossa tão rica cultura.

Então através de ideogramas do alfabeto Tupi-Guarani construi o “man”, uma referência direta ao evento-mãe nos EUA. Esse “man” veste um cocar dualístico, que ao mesmo tempo pode ser visto como de penas ou folhas de bananeira, remetendo a nossa flora tropical. Os “raios” abaixo dos braços do “man” (tb uma grafia guarani) dá poder ao movimento dos braços para cima, como um cerimonial, uma saudação a uma sociedade diferente, a algo que podemos ensinar e “iluminar”.

Iluminação tal representada pelo ícone abaixo das pernas do “man”. Um sol? Um olho? Todas as interpretações nos levam a iluminação, a energia que nos aquece, aquilo que podemos ver de novo e com empatia e sem julgamentos absorver e mudar nossa vida. E porque o “sol-olho” não está acima do “man”? Porque no Tropical Burn não existe uma verdade que nos ilumina, mas cada um tem a sua. Sua própria experiência, sua própria vivência, suas próprias conclusões. Nós “parimos” nossas próprias mudanças, e a mudança de cada um é muito particular.

Essa quebra de paradigmas é bem explícita na tipografia. Busquei um tipo robusto, de fácil leitura. Dando o corpo que o evento necessita. O peso que ele trás. As arestas arredondadas e harmônicas são quebradas por linhas retas em cada letra. Quebra de conceitos, pré-conceitos, quebra de tabus e paradigmas. A palavra “Burnu” é levemente mais pesada que o “Tropical” pois fecha a leitura não só referindo ao evento mãe, mas nos dando um recado. Queime o que não serve para você, se expresse sem julgamentos, viva em comunidade, destrua seu ego e renasça das cinzas quebrando as arestas redondas, harmônicas e confortáveis e vivendo o inesperado, o presente e o imediatismo.”

Para saber mais sobre o Tropical Burn, acesse: https://tropicalburn.org/o-evento/